É HORA DE DEFENDER O BRASIL! – VAMOS COM HADDAD E MANUELA 13

É HORA DE DEFENDER O BRASIL! – VAMOS COM HADDAD E MANUELA 13

Nas eleições de 2018 a felicidade e o futuro do povo brasileiro estão em jogo. Depois de 30 anos de superação da ditadura militar e de promugação da Constituição Cidadã, que incorporou à política princípios democráticos, de desenvolvimento soberano e de inclusão social, voltamos a viver tempos sombrios, tempos de medo, tempos de tristeza. Um candidato militar, associado ao grande capital internacional e aos banqueiros, navega nos sentimentos de desamparo, medo e desesperança da população,

Nota Conjunta BP/Fortalecer sobre a redução orçamentária da CAPES

Nota Conjunta BP/Fortalecer sobre a redução orçamentária da CAPES

As universidades federais enfrentam desde 2014 cortes sistemáticos em seus nos orçamentos, estabelecendo uma situação de caos financeiro que se repetiu por todas as instituições de ensino superior do país. Como resultado de uma política orçamentária que foi aprofundada pelo governo Temer, justificada por uma crise fiscal produzida que assola o país, tornou-se recorrente o repasse da conta da crise para os estudantes e pesquisadores deixando intactos os privilégios dos ricos. Os impactos são brutais: aumento

Luta dura, vida simples, pensamento elevado

Luta dura, vida simples, pensamento elevado

Pedro Otoni O que está em jogo do Brasil, desde o golpe, é qual será o padrão de relação entre os principais atores políticos do país.    As mediações entre as classes sociais estabelecidas pela Constituição de 88 e a correlação de forças fáticas sofreram mudanças substanciais deste a efetivação da agenda golpista. A casa grande não admite mais as conquistas sociais estabelecidas na Constituição, não aceitam soberania brasileira sobre recursos e empresas estatais.  

Intervenção militar no Rio de Janeiro, reforma da Previdência e a faísca que falta

Intervenção militar no Rio de Janeiro, reforma da Previdência e a faísca que falta

Texto do camarada Pedro Otoni Com a possibilidade de não conseguir os votos necessários para aprovar a Reforma da Presidência o governo decreta intervenção militar na segurança pública do Rio de Janeiro. Durante a intervenção não pode haver emenda constitucional (inclusive a Reforma da Previdência) a não ser em um período de suspensão temporária da mesma (24h) (sic).   É claro que é uma forma canalha e brutal de sair da saia justa da perda de

As comunas: estratégia para fortalecer a organização comunitária

Por Pedro Otoni Nosso país está submetido a uma profunda ofensiva de forças conservadoras (algumas inclusive de caráter fascista). Como resultado, vemos desmoronar conquistas sociais, garantidas com o esforço de trabalhadores em luta por mais de um século de nossa história. O imperialismo avança no controle dos nossos bens estratégicos; as elites econômicas associadas ao estrangeiro entregam as últimas reservas de soberania nacional a troco de ganhos imediatos. Vemos diante de nossos olhos a mesma

Página 1 de 2112345...1020...Última »