Fora Pezão! Diretas Já!

A crise do Estado do Rio de Janeiro se agrava a cada dia. A total inviabilidade de suas contas levou a cenas de caos: servidores com salários atrasados a três meses; pagamento parcelado de rendimentos; fechamento de serviços públicos com a manutenção extremamente precária dos mais essenciais; colapso da segurança pública, guerra de facções por toda a região metropolitana e praticamente a morte de 3 policiais por semana em 2017, levando ao movimento das esposas

Nota de Conjuntura das Brigadas Populares: fevereiro de 2017

Nota de Conjuntura das Brigadas Populares: fevereiro de 2017

1. As perigosas energias, relativamente estancadas pela institucionalidade produzida na Constituinte de 1988, tiveram o seu transbordamento na ruptura com o Arranjo Político da Nova República (APNR), por meio do golpe de Estado, em 2016, empreendido pelo consórcio formado pela Casa Grande brasileira e o imperialismo. Mesmo possuindo um registro nacional, tal situação está circunscrita na encruzilhada da parte ocidental do mundo: por um lado o esgotamento civilizacional euro-estadunidense e, por outro, a ausência de

Sejamos diretos, é hora de derrubar Pezão!

Sejamos diretos, é hora de derrubar Pezão!

  Por Roberto Santana Santos* Todo o Brasil vem acompanhando o caos que se encontra o estado do Rio de Janeiro há mais de um ano. O PMDB conseguiu falir o segundo estado mais rico da União. Cenas repugnantes se multiplicam: servidores sem receber há 3 meses, pagamento parcelado de salários, caos total nos serviços públicos, e deterioração na sempre delicada questão de segurança pública no Rio de Janeiro. Em 2017 praticamente 3 PMs são

Nota contra a oferta da base de Alcântara aos EUA

Nota contra a oferta da base de Alcântara aos EUA

Para: Ministério das Relações Exteriores – Itamaraty Congresso Nacional (Senado Federal e Câmara dos Deputados) Comissão de Ciências e Tecnologia da Câmara dos Deputados Comissão de Constituição e Justiça CCJ À sociedade em geral Entre os absurdos políticos que o Brasil está enfrentando hoje, destaca-se a continuidade da submissão às imposições neoliberais do Consenso de Washington, aplicadas pelo Banco Mundial e FMI desde os anos 90 do século passado aos “países em desenvolvimento” da periferia

Nota das Brigadas Populares sobre a crise da segurança pública no Espírito Santo

Sufocados pela política econômica de Paulo Hartung, que concede mais de 4,5 bilhões de reais em isenções fiscais inconstitucionais a grandes empresas, enquanto corta do orçamento recursos destinados à serviços básicos, como saúde e educação, além de arrochar as condições de trabalho do funcionalismo público tendo como justificativa a falsa necessidade de ajuste fiscal sem limites para o Estado, desde sábado (04/02) policiais militares do ES, suas mulheres e demais familiares iniciaram um movimento por