Nota das Brigadas Populares sobre o retrocesso na Saúde Mental Brasileira e a nomeação de Valencius Wurch como Coordenador Nacional de Saúde Mental

As Brigadas Populares, organização que luta cotidianamente por uma sociedade realmente democrática, por um Brasil livre e soberano defende o Sistema Único de Saúde (SUS) realmente público e universal. Por isso viemos a público repudiar a nomeação realizada neste dia 11 do novo Coordenador Nacional de Saúde Mental do Ministério da Saúde (MS), o Sr. Valencius Wurch, que foi diretor da Casa de Saúde Dr. Eiras, o maior hospício da América Latina, fechado por absurdas

Famílias desabrigadas do Novo Triunfo – Pela abertura imediata das Negociações!

Na quarta-feira, 09 de dezembro de 2015, às vésperas das festas natalinas, 39 famílias que ocupavam casas vazias no Residencial Novo Triunfo II do Programa Minha Casa, Minha Vida foram desabrigadas. A grande operação, que contou com um largo efetivo da Polícia Militar, da Polícia Federal e até mesmo do Exército, com uso de cachorros e cavalaria, foi fruto de ação de reintegração de posse interposta pela Caixa Econômica Federal e julgada pela Juíza Federal

COMPANHEIRA VÂNIA BAMBIRRA, PRESENTE!

No dia 09 de dezembro nos deixou a grande professora Vânia Bambirra. Um exemplo de intelectual-militante, Vânia é uma pensadora fundamental para se entender o Brasil e a América Latina. Foi uma das principais formuladoras da teoria marxista da dependência, em conjunto com Ruy Mauro Marini e Theotonio dos Santos. Vânia, por meio de suas formulações teóricas, contribuiu para um entendimento da América Latina e seus desafios por contornos próprios, por meio de um marxismo

Eleições gerais em 2016: rasgar a Constituição em nome da dança das cadeiras?

Por João Telésforo*   “Alguns artigos do texto de 1988 são instrumentos de luta eficazes. Urge, pois, defendê-los com unhas e dentes, até que o povo consiga produzir um movimento político de primeira grandeza que possibilite cortar privilégios dos poderosos e reconhecer direitos dos hoje oprimidos. Só então haverá condições para convocar uma nova Assembléia Nacional Constituinte”.  Plínio de Arruda Sampaio, 2009   A Constituição de 1988 infelizmente não prevê possibilidade de referendos populares para revogação de mandatos, muito menos antecipação de eleições a depender da

TODO APOIO AO SERVIÇO PÚBLICO ESTADUAL

O governo Raimundo Colombo tem atacado o serviço público estadual com uma série de medidas que retiram direitos de seus/suas trabalhadoras/es. Argumentando que a sociedade não pode pagar por tantos servidores e que estas “reformas” vão melhorar os serviços, o governador terceiriza, sucateia e privatiza o serviço público. Estão fazendo isso há 25 anos e, até agora, em nenhum lugar se sentiu a melhora. Em 1990, o dobro de servidores e servidoras serviam uma população