Vito Giannotti, Presente porra!

“Aos que se foram nenhum minuto de silêncio, mas toda uma vida de luta” Hebe Bonafini   A palavra ou o palavrão “PORRA” era característica maior e mais profunda da fala do grande Vito Giannotti, que nos deixou nos últimos dias. Para quem conheceu o camarada Vito, sabe que ele sempre usava o palavrão no final das frases, para dar ênfase na urgência da luta revolucionária. Ela comprova seu amor pela causa, pelos trabalhadores, pelo

Não se pode dialogar pela paz em meio a ofensivas militares!

Desde outubro de 2012, as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia – Exército do Povo (FARC-EP) e o governo do presidente Juan Manuel Santos dialogam em Havana, Cuba, para chegar a um acordo que dê fim ao conflito armado que dura mais de cinco décadas na Colômbia. Ao longo destes quase três anos de negociação, as FARC-EP sempre defenderam um cessar-fogo bilateral como condição para o bom desenvolvimento da mesa. Por outro lado, o governo colombiano

Mais escolas e fim das prisões para juventude

Por mais que você corra irmão Pra sua guerra vão nem se lixar Esse é o xis da questão Já viu eles chorar pela cor do orixá? E os camburão o que são? Negreiros a retraficar Favela ainda é senzala jão Bomba relógio prestes a estourar Emicida O golpe de Cunha No dia 30 de Junho a juventude brasileira foi espectadora de mais um episódio de GOLPE protagonizado por EDUARDO CUNHA (PMDB). O plenário da

Manipulação direta da problemática da superpopulação carcerária através da higienização das contradições punitivistas

Por Felippe Emanuel Dinali Sena* Sobre o anúncio do Governo de Minas Gerais no último dia 17 de Junho de 2015 em relação à construção de oito presídios como pressuposto de reduzir a população carcerária, não pode ser entendido como sendo a solução da problemática superpopulação nos presídios, muito menos da violência, devendo ser encarados não mais sob a retrógrada e irracional política punitivista de encarceramento em massas. O Brasil lidera hoje a terceira posição

MANIFESTO DE FUNDAÇÃO DAS BRIGADAS POPULARES EM SÃO PAULO OU ABAIXO O 9 DE JULHO DA ELITE PAULISTA

I. (…) na Capital da Republica, onde vacilla o mais impopular e nefasto governo que já teve o Brasil, se prepara, irresistivelmente, a sublevação geral de todos os elementos. Assim, nada conseguirá deter a onda avassaladora do movimento paulista. Ella é invencivel como a liberdade e a lei, que a dictadura pretendeu acorrentar e negar! Avante, pois, pela Constituição e pelo Brasil Unido! “Um manifesto da frente-única”, Folha da Manhã, 12 de julho de 1932